Globalizemos!

Criar ou reformular uma estratégia empresarial abrangente, procurar oportunidades para além das fronteiras físicas que o rodeiam e compreender que o ambiente empresarial efervescente que se vive nos dias de hoje é substancialmente diferente do que proliferava ainda há poucos anos, são os imperativos mais básicos de um empreendedor ou empresário actual que tenha como objectivo prosperar.

padrao-dos-descobrimentos-211143_1920

Abraçar o mundo” e a sua infinidade de possibilidades negociais pode ser deveras tentador e até um cenário realista tratando-se (sobretudo) de negócios on-line nos quais seja possível alavancar as vendas com um investimento relativamente reduzido. Ainda assim, exceptuando os referidos negócios, será conveniente seleccionar os mercados-alvo em função das características dos produtos/serviços que temos para oferecer e dos recursos a que temos acesso.

Seguindo o lógico e actual desígnio nacional de dotar as empresas de ferramentas e meios para competir num mundo cada vez mais globalizado, é necessário começar por fazer uma sincera análise às forças e fraquezas da organização, para posteriormente analisar o mercado propriamente dito.

Podemos dizer que forças são evidentemente os pontos fortes da empresa, um conjunto de características que, de alguma forma, façam a organização “brilhar” em comparação com a concorrência. Por outro lado, fraquezas são obviamente os pontos fracos, aqueles que devem merecer a nossa maior atenção e nos quais devemos investir uma considerável quantidade de energia e recursos, de forma a ficarmos (no mínimo) equiparados com os nossos concorrentes.

Feito este exercício de honestidade e humildade, cabe aos lideres tirar conclusões e agir, rodeando-se de colaboradores com a competência e a paixão necessárias para posicionar o negócio, construindo uma estrutura que sustente e alimente toda a rede e que vise a captação de interesse por parte dos potenciais clientes onde quer que estes estejam, pois como diria Pessoa: “O mar sem fim é português.”

Artigo sobre diagnóstico vs. estratégia de marketing.
Publicado em Junho de 2017 (Odivelas Notícias).

Leave a Reply

Voltar ao topo
Translate »
Facebook
LinkedIn
Follow by Email